close
Notícias

Pele artificial magnética garante que a força esteja com você

010180191126-pele-magnetica-1

Pele artificial magnética

Que tal liberar seus poderes Jedi adormecidos e usar “a força” para abrir portas automáticas, acender luzes ou controlar qualquer outro aparelho?

Uma nova pele artificial magnética permite isso e ainda lhe dando um ar de superpoderes: Ela permite controlar remotamente portas e aparelhos com um movimento da mão ou mesmo com um piscar de olhos.

Flexível, leve e magnetizada, a pele foi projetada para ser usada como uma peça do vestuário – como uma parte do tecido ou como uma luva, por exemplo -, o que a torna útil em uma variedade de aplicações, tudo sem a necessidade de uma conexão com fios a outros dispositivos.

“As peles eletrônicas artificiais normalmente dependem de uma fonte de alimentação, de armazenamento de dados ou de uma rede de comunicação. Isso envolve baterias, fios, chips e antenas eletrônicas e torna as peles inconvenientes de usar. Nossa pele magnética não requer nada disso. É a primeira do seu tipo,” disse Jurgen Kosel, da Universidade de Ciência e Tecnologia Rei Abdullah, na Arábia Saudita.

A pele artificial magnética é feita usando uma matriz polimérica biocompatível e ultraflexível, preenchida com micropartículas magnetizadas.

“Qualquer um pode iniciar seu próprio projeto de pele artificial após alguns minutos de treinamento, se tiver as ferramentas e os materiais. O processo de fabricação é barato e simples. Ela pode ser personalizada em qualquer formato e cor, tornando-a imperceptível ou até elegante,” contou o pesquisador Abdullah Almansouri.

Pele artificial magnética garante que a força esteja com você
O material pode ser personalizado em qualquer formato e cor. [Imagem: 2019 KAUST]

Usos e aplicações

A equipe testou seus protótipos para rastrear os movimentos dos olhos anexando-a a uma pálpebra e usando um sensor magnético de vários eixos. O movimento dos olhos alterou o campo magnético detectado pelo sensor quando a pálpebra era aberta e fechada.

Esse sensor, sugere a equipe, pode ser incorporado em armações de óculos ou máscaras de dormir ou aplicado como uma tatuagem eletrônica na testa. Os usos incluem interfaces humano-computador para pessoas com paralisia ou para jogos; para analisar padrões de sono; ou para monitorar condições oculares, como pálpebras caídas ou estado de alerta dos motoristas.

A equipe também anexou a pele artificial à ponta de uma luva de látex e colocou um sensor dentro de um interruptor de luz. Quando a pele magnética se aproxima do sensor – a uma distância que pode ser configurada – a luz liga ou desliga. Esta aplicação pode ser especialmente relevante em laboratórios e práticas médicas, onde é importante evitar o contato com superfícies devido a riscos de contaminação.

A equipe já está trabalhando em outras aplicações, incluindo uma cadeira de rodas controlada por gestos, uma interface humano-computador sem contato e para localização não invasiva de dispositivos biomédicos.

Fonte: Inovação Tecnológica.

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário