close
no thumb
2404ec2010O Porto do Pecém receberá o programa de funcionamento 24 horas até o final de maio segundo o ministro da Secretaria Especial dos Portos, Leônidas Cristino, em entrevista ao O POVO. Segundo ele, isso representa aumento de 25% na capacidade de movimentação de cargas. A previsão de início da operação é a partir da implantação do programa no Porto do Mucuripe, que entra em funcionamento em horário integral na próxima segunda-feira, conforme anunciado na semana passada. “Depois de começar a funcionar no Mucuripe, a gente rebate para o Pecém. É fácil porque são portos próximos, complementares”, diz Cristino.

O ministro explica que, apesar de não haver gargalo no Pecém, o porto receberá o programa como consequência da implantação no Porto do Mucuripe, que começa a operar 24 horas por dia, inclusive nos feriados, a partir da próxima segunda-feira. Conforme Cristino, a operação dos portos brasileiros já é 24 horas. O Programa, portanto, se concentra nas atividades dos anuentes, funcionários responsáveis por autorizar entrada e saída de cargas. “Isso é parte do que nós chamamos de inteligência logística”, diz.

Ceará Portos

Para o presidente da Ceará Portos, Erasmo Pitombeira, a medida vai evitar que os navios que chegam de madrugada fiquem atracados à espera no início da jornada de trabalho dos anuentes. Segundo ele, antes da implantação do Programa Porto 24 Horas, o Pecém tenta sincronizar a chegada das cargas com o horário de trabalho dos anuentes, o que nem sempre é possível. “Na exportação de fruta, por exemplo, a carga tem que chegar cedo. E você não tem gente para a carga”. Sem equipe para liberar a carga, o navio paga para ficar parado no Porto, o que custa US$ 30 mil dólares em média no Pecém.

 

Comissões locais

De acordo com Leônidas Cristino, a implantação do Programa Porto 24 Horas tem como ponto fundamental a estruturação das Comissões Locais de Atividade Portuária (Claps), que permitem o trabalho sincronizado dos responsáveis por recebimento e despacho de carga. “Sem eles, cada um trabalha de maneira independente”. Sem sintonia, exemplifica, é possível que todos os responsáveis estejam disponíveis durante a atracação do navio, mas não haja nenhum no momento seguinte, para verificar a carga desembarcada. Apesar de não haver previsão, o ministro não descarta a ampliação do programa para todos o portos do País. (colaborou Átila Varela)  

 

O quê

 

ENTENDA A NOTÍCIA

 

O programa Porto 24 Horas começou a ser implantado na semana passada, nos portos de Santos, Rio de Janeiro e Vitória. Outros terminais entram nesse regime a partir de 3 de maio, como o Mucuripe.

 

Saiba mais

 

Setor privado

Para José Meireles, diretor do ACD Group, que trabalha com importações e exportações, o funcionamento em tempo integral dos portos do Pecém e Mucuripe é fundamental para a competitividade cearense. “Tem que trabalhar 24 horas para se conectar com o mundo. Não posso manter um navio parado esperando pelo horário de trabalho do brasileiro”.

 

Apesar de avaliar como positiva a medida, Meireles destaca que há outros problemas a serem resolvidos para melhorar a logística no Ceará. O principal deles, conforme diz, são as condições em que se encontram as rodovias, problema que ele diz ser generalizado por todo o País. A insegurança também contribui para o custo logístico. “O Porto é só o final, mas é preciso criar condições para chegar lá”.

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário