close
engenhariadedados_560919157

Engenheiros de dados são membros vitais de qualquer equipe corporativa de análise de dados. Eles são responsáveis ​​por encontrar tendências nos conjuntos de dados e desenvolver algoritmos para ajudar a tornar os dados brutos informações úteis para a empresa.

Essa função de TI exige um conjunto significativo de habilidades técnicas, incluindo um profundo conhecimento do design do banco de dados SQL e de várias linguagens de programação. Mas os engenheiros de dados também precisam de habilidades de comunicação para  entender e reportar os insights que os líderes de negócios desejam extrair do Big Data.

Os engenheiros de dados geralmente são responsáveis ​​pela criação de algoritmos para ajudar a facilitar o acesso aos dados brutos, mas, para isso, precisam entender os objetivos da empresa ou do cliente. É importante ter metas de negócios alinhadas ao trabalhar com dados, especialmente para empresas que lidam com conjuntos de dados complexos.

Os engenheiros de dados também precisam entender como otimizar a recuperação de dados e como desenvolver dashboards, relatórios e outras visualizações para as partes interessadas. Dependendo da organização, os engenheiros de dados também podem ser responsáveis ​​pela comunicação das tendências apontadas pela análise dos dados. Organizações maiores geralmente têm vários analistas de dados ou cientistas para ajudar a entender os dados, enquanto empresas menores podem confiar em um engenheiro de dados para trabalhar em ambas as funções. Leia também: Engenheiros de Big Data estão entre os profissionais mais valorizados 

O papel do engenheiro de dados
Segundo a Dataquest, há três funções principais nas quais os engenheiros de dados podem se encaixar. Esses incluem:

– Generalista: Generalistas geralmente são encontrados em pequenas equipes ou em pequenas empresas. Nesse cenário, os engenheiros de dados usam muitos títulos como uma das poucas pessoas “focadas em dados” da empresa. Generalistas geralmente são responsáveis ​​por cada etapa do processo de dados, desde gerenciar dados até analisá-los. A Dataquest diz que esse é um bom papel para quem quer fazer a transição da Ciência de Dados para a Engenharia de Dados, já que as empresas menores não precisarão se preocupar tanto com a engenharia “por escala”.

– Centralizado em pipeline: geralmente encontrado em empresas de médio porte, os engenheiros de dados centrados em pipeline trabalham em conjunto com cientistas de dados para ajudar a usar os dados coletados. Engenheiros de dados centrados em pipeline precisam de “conhecimento profundo de Sistemas Distribuídos e Ciência da Computação”, segundo a Dataquest.

– Centralizado no banco de dados: em organizações maiores, onde o gerenciamento do fluxo de dados é um trabalho em tempo integral, os engenheiros de dados se concentram em bancos de dados analíticos. Os engenheiros de dados centrados no banco de dados trabalham com data warehouses e são responsáveis ​​pelo desenvolvimento de esquemas de tabelas.

Responsabilidades dos engenheiros de dados
Os engenheiros de dados têm a tarefa de gerenciar e organizar dados, enquanto também estão atentos a tendências ou inconsistências que afetarão as metas de negócios. É uma posição altamente técnica, exigindo experiência e habilidades em áreas como Programação, Matemática e Ciência da Computação. Mas os engenheiros de dados também precisam de soft skills para comunicar tendências de dados a outras pessoas da organização e ajudar os negócios a usar os dados coletados. Algumas das responsabilidades mais comuns de um engenheiro de dados incluem:

– Desenvolver, construir, testar e manter arquiteturas;

– Alinhar arquiteturas com requisitos de negócios;

– Cuidar da aquisição dos dados;

– Desenvolver processos de conjunto de dados;

– Usar linguagem de programação e ferramentas;

– Identificar maneiras de melhorar a confiabilidade, a eficiência e a qualidade dos dados;

– Realizar pesquisas para questões industriais e de negócios;

– Usar grandes conjuntos de dados para resolver problemas de negócios;

– Implantar programas analíticos sofisticados, Machine Learning e métodos estatísticos;

– Preparar dados para modelagem preditiva e prescritiva;

– Encontrar padrões ocultos usando dados;

– Usar dados para descobrir tarefas que podem ser automatizadas;

– Entregar atualizações para as partes interessadas com base em análises.

Habilidades de engenheiro de dados
As habilidades no currículo podem afetar suas negociações salariais – em alguns casos, em mais de 10 ou 15%. De acordo com dados do PayScale , as seguintes habilidades de engenharia de dados estão associadas a um aumento significativo nos salários reportados:

– Scala: +17%

– Apache Spark: +16%

– Data warehouse: +14%

– Java: +13%

– Modelagem de dados: +12%

– Apache Hadoop: +11%

– Linux: +11%

– Amazon Web Services (AWS): +10%

– ETL (extra, transformação, carga): +7%

– Análise de Big Data: +6%

– Desenvolvimento de software: +2%

Tornando-se um engenheiro de dados
Normalmente, os engenheiros de dados têm formação em Ciência da Computação, Engenharia, Matemática Aplicada ou diploma em outras áreas relacionadas à TI. Como o papel requer conhecimento técnico pesado, os aspirantes a engenheiros de dados podem achar que um bootcamp conhecimentos que aumentem suas habilidades. A maioria dos trabalhos de engenharia de dados exige pelo menos um grau de bacharel relevante em uma disciplina relacionada, de acordo com PayScale.

O profissional precisará de experiência com várias linguagens de programação, incluindo Python e Java, e conhecimento do design do banco de dados SQL. Se tiver experiência em TI, ou em uma disciplina relacionada, como Matemática ou Análise, um bootcamp ou certificação pode ajudar a adequar o currículo a posições de engenharia de dados. Por exemplo, se o profissional trabalhou em TI, mas não realizou um trabalho de dados específico, pode se inscrever em um bootcamp de Ciência de Dados ou obter uma certificação de Engenharia de Dados para provar que possui as habilidades necessárias.

Se não tiver experiência em tecnologia ou TI, talvez precise se inscrever em um programa detalhado para demonstrar sua proficiência no campo ou investir em um programa de graduação se não tiver um diploma. Se já tiver um diploma de graduação, mas não em um campo relevante, pode sempre consultar os programas de mestrado em Análise de Dados e Engenharia de Dados.

Em última análise, vai depender da sua situação e dos tipos de trabalhos que precisará fazer.

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário