close
Notícias

Indústria 4.0 poderá criar mais de 133 milhões novos postos de trabalho

SENGE 3105 1

Estamos passando por algo chamado a Quarta Revolução Industrial, o que você provavelmente já deve ter ouvido falar muito. Essa revolução promete mudar o cenário de produção das fábricas, implicando até mesmo no dia a dia das pessoas.

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a previsão é de que nos próximos quatro anos, as inovações tecnológicas sejam responsáveis pela criação de 133 milhões de novos postos de trabalho. Isso porque, além da exigência de equipamentos e softwares atualizados, haverá demanda de mão de obra qualificada para atender o campo empresarial.

Novas profissões

Ainda segundo a CNI, 60% das crianças em idade escolar vão trabalhar em profissões que ainda nem existem. Essas novas profissões, segundo a Confederação, também estão relacionadas à 4ª revolução industrial.  Os trabalhos estarão ligados, principalmente, às áreas da física, digital e biológica, voltados o desenvolvimento de novas tecnologias.

Haverá buscas por analistas de internet das coisas, engenheiros de cibersegurança, projetistas de 3-D e mecânicos de veículos híbridos. Essas são algumas das ocupações que devem ser criadas nos próximos cinco a dez anos.

Até mesmo setores tradicionais como a indústria têxtil e de vestuário estão passando por transformações. Saem de cena a tecelagem tradicional e ganham espaço as máquinas inteligentes e robôs colaborativos. Na tendência de internet das coisas, o uso de roupas inteligentes, que emitem informações a partir dos tecidos ou de equipamentos como led e sensores devem entrar no mercado. Com isso, ganha importância o desenhista de moda, que utiliza sistemas informatizados para desenhar peças de vestuário e acessórios e os técnicos em produção.

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário