close
Captura de Tela 2020-06-01 à(s) 16.15.59 1

Roberto Sérgio destaca sua relação com a Engenharia Mecânica e analisa como fica o setor com a atual Pandemia do COVID-19

Comemora-se hoje, 5 de junho, o Dia do Engenheiro Mecânico, profissionais que estão envolvidos em projetos de diversas setores e áreas industriais. Contribuem de forma efetiva para o crescimento e desenvolvimento da nossa sociedade. Para saber mais detalhes sobre como os engenheiros mecânicos estão driblando o momento atual, com a pandemia do COVD-19, e também para conhecer o perfil de um profissional de destaque na área, entrevistamos o Eng. Roberto Sérgio Farias de Souza, que construiu uma carreira de 43 anos na Engenharia Mecânica, é mestre e doutor em Engenharia de Produção, com teses ancoradas na problemática dos recursos hídricos e saneamento.

Roberto Sérgio tem um vasto currículo, com ricas experiências profissionais. Na CAGECE, chefiou a recém-criada Divisão de Engenharia Eletromecânica, na Companhia de Saneamento, conduziu projetos com ênfase em manutenção e operações, tendo sido Superintendente de Operações da Região Metropolitana de Fortaleza e outros cargos gerenciais. Convidado pelos Engenheiros Ariosto Holanda e Jurandir Picanço, integrou projeto de implantação de um Núcleo de Tecnologia Industrial, que veio depois a se tornar a Fundação NUTEC.  Após essa iniciativa, assumiu diversos cargos no Governo do Ceará, destacadamente o de Subsecretário da Industria e do Comércio, Subsecretário e Secretário em Exercício de Ciência e Tecnologia, e Presidente da Funceme. Consultor em engenharia mecânica e de produção, realizou trabalho de destaque com máquinas hidráulicas nos perímetros irrigados do Departamento Nacional de Obras Contra as Seca (DNOCS).

“Muito me orgulha ter sido coautor (com o Engenheiro Swami Marcondes Vilela da Universidade de São Carlos) do primeiro estudo de bombeamento do Sistema de Transposição do Rio São Francisco.  Também em coautoria (com o Engenheiro Petrônio Magalhães) desenvolvi os estudos de viabilidade técnica e econômica, fiz a engenharia básica  e participei da escolha dos equipamentos do projeto do que seria o Terminal Graneleiro do Porto do Mucuripe, o atual TERGRAN, sob contratação pessoal e direta do Senhor Ivens Dias Branco, extraordinário empreendedor e homem de visão além do seu tempo.

Vale ressaltar que de ambos os projetos anteriormente citados, possuo as respectivas Certidões de Acervo Técnico expedidas pelo Crea-Ceará”, destacou Roberto Sérgio.

INFO.SENGE:  Atualmente onde o senhor está atuando?

RS: Atualmente presto serviços de engenharia mecânica e de produção, focado mais na indústria de saneamento básico, recursos hídricos e de equipamentos para energia eólica.

Tenho também presença no Conselho Gestor do Centro de Educação Apoena, Instituição de ensino profissional. Outra fração do meu tempo é dedicada ao Crea-Ceará, onde sou Conselheiro da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica.  Também ocupo a cadeira 29 da Academia Cearense de Engenharia, que tem como patrono o Engenheiro Mecânico-Eletricista Jesamar Leão de Oliveira. Na Associação dos Engenheiros Mecânicos e Industriais do Ceará (AEMI), que ajudei a fundar, há cerca de 37 anos, em colaboração ao saudoso e ilustre Professor Engenheiro Mecânico Aeronáutico Telmo Bessa, ocupo a função de Conselheiro da atual Diretoria.

INFO.SENGE:  O senhor também criou cursos na área acadêmica?

RS: A par das minhas atividades no magistério superior, pois sempre estive envolvido com o ensino, em determinado momento fundei o Centro de Educação Apoena como instituição privada de ensino superior e técnico.

INFO.SENGE:  Vivemos um momento delicado atualmente. Qual é a relação da Engenharia Mecânica com a Pandemia do COVID-19?

RS: A Mecânica é o ramo da Engenharia com maior relacionamento com a Covid19. Esta relação íntima é de fácil explicação: a Covid19 é uma doença respiratória e que tem o ar que nos envolve, como um dos meios de suporte à transmissão do vírus causador da enfermidade; por outro lado, os estudos, projetos,  manutenção, operação e trabalhos relativos ao condicionamento do ar em indústrias, ambientes comerciais, como shopping, grandes e pequenas lojas, escritórios, salas de teatro e cinemas e até em residências, são privativos da engenharia mecânica, amparados por legislação federal. Ora, o ar condicionado é hoje em dia item indispensável nas nossas vidas se fazendo presente em diversos tipos de edificações e equipamentos destinados ao trabalho, ao transporte e ao lazer, para citar somente alguns como já citados acima. Assim, pode-se concluir, que está no âmbito exclusivo da engenharia mecânica os cuidados com os equipamentos que condicionam o ar que nos rodeia e que respiramos, com o objetivo não só de nos dar mais conforto, mas também colaborar preventivamente com a nossa saúde. Em janeiro de 2018 foi sancionada pelo Presidente da República a Lei 13589, que trata da manutenção de instalações e equipamentos de sistema de climatização de ambientes, a chamada lei do PMOC – Plano de Manutenção, Operação e Controle de ambientes com ventilação e ar condicionado.

O pouco conhecimento desta lei pelos usuários, inclusive pelos próprios poderes públicos, manifesta-se nas recentes medidas de isolamento social causado pelo alastramento da covid19, onde os critérios para  fechamento ou abertura de espaços sujeitos a aglomerações, não fizeram vínculo, pelo menos explícito, com as variáveis da boa qualidade do ar que é necessariamente promovida por intervenções de natureza técnica ligadas ao domínio da Engenharia Mecânica.

INFO.SENGE: Qual está sendo a contribuição desses profissionais para a sociedade nesse momento?

RS: Os profissionais de engenharia mecânica que trabalham no ramo da climatização e condicionamento de ar oferecem uma contribuição muito importante para a eficácia das medidas de controle e enfretamento à pandemia do Covid-19.

INFO.SENGE:   Como se mostra a atuação da Engenharia Mecânica atualmente no Ceará e no Brasil? Os mercados para o Engenheiros Mecânicos estão crescendo no Brasil?

RS: A engenharia mecânica é por excelência a área da engenharia do movimento. Tudo que fisicamente se move, incluindo a energia calorífica, está no âmbito da engenharia mecânica. Assim sendo pode-se facilmente vislumbrar que a engenharia mecânica está presente em inúmeros setores da vida humana contemporânea. Máquinas e equipamentos de qualquer natureza, desde os eletrodomésticos e utensílios de cozinha, passando pelos automóveis, caminhões, navios, aviões, usinas térmicas a gás e carvão, equipamentos de tratamento e transferência de água potável e esgotos, armamento, máquinas para construção civil e estradas, equipamentos médicos, hospitalares e odontológicos, máquinas e equipamentos para a agricultura e a pecuária, etc. etc. têm envolvimento direto com a engenharia mecânica. No Brasil, por óbvio, dado o estágio de desenvolvimento econômico brasileiro, um país emergente, é significativa a presença da engenharia mecânica nos diversos setores de nossa economia. No Ceará, mormente nos anos mais recentes, a presença da engenharia mecânica se faz cada vez maior, função sobretudo da aceleração do desenvolvimento econômico do nosso Estado. Assim sendo é de maneira geral crescente, de maneira sensível, a ampliação do mercado de trabalho para os engenheiros mecânicos.

INFO.SENGE:   De que forma a área foi afetada pela pandemia?

RS: Todos os setores da economia foram afetados pela pandemia do Covid-19. O mercado de trabalho e as empresas de engenharia mecânica também foram atingidos pela pandemia, pela redução da procura por engenheiros mecânicos e pela diminuição da demanda por serviços de engenharia mecânica.  Certamente o evento do Covid-19, que deverá estar sob controle em pouco tempo, não será mais empecilho à volta do crescimento e a significativa contribuição da engenharia mecânica à nossa sociedade e às atividades econômicas.

INFO.SENGE:   Com a tecnologia cada vez mais avançada, quais são as conquistas para o setor e para os profissionais?

RS: Com o progresso tecnológico acontecendo de forma acelerada nos dias de hoje, verifica-se o aumento da importância e do protagonismo da engenharia mecânica, o que redunda em aumento do prestígio deste ramo da engenharia e de um maior número das oportunidades de negócios e empregos para engenheiros mecânicos.

INFO.SENGE:   No Dia do Engenheiro Mecânico que mensagem o senhor gostaria de deixar aos colegas.

RS: O Engenheiro Mecânico tem uma extraordinária participação e influência na vida das pessoas, porquanto sua atuação pode alcançar praticamente todos os setores da vida humana e da economia. No compasso com o aumento da velocidade do desenvolvimento tecnológico e do respeito ao ser humano pela legislação, a engenharia mecânica ganha cada vez mais participação, destaque e importância, sendo por isto mesmo uma carreira de conhecimentos complexos que exige muito estudo, capacidade de trabalho, aprimoramento permanente e elevada postura ética.

Com efeito, aqueles que se tornarem efetivamente engenheiros mecânicos, por exercerem a profissão com ética, lealdade, afinco e ciência, terão certamente uma boa recompensa material e elevado nível de satisfação pela realização pessoal que irão alcançar.

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário