close
Nacional

Confea se mobiliza pela aprovação do projeto que destina parte da renda do Sistema Confea/Crea e Mútua ao aperfeiçoamento técnico e cultural dos profissionais registrados

no thumb

Logo_Confea_emaltaO deputado federal Mauro Benevides (PMDB-CE) é o relator do projeto de lei (PL) 5253/13, que destina parte da renda dos Creas ao aperfeiçoamento técnico e cultural dos profissionais registrados e tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

O assessor parlamentar do Confea, Pedro Lopes, e o chefe de gabinete da Casa, Gilberto Campos, reuniram-se com o deputado Mauro Benevides, para apresentar as reivindicações do Sistema, no sentido de apressar a aprovação da proposta. Na reunião, o deputado mostrou-se favorável à proposta e assegurou que o projeto estará na pauta da próxima semana da Comissão. “Sabemos do trabalho honroso desenvolvido pelos Creas. O projeto é conclusivo na CCJ e, se aprovado, segue para sanção presidencial”, afirmou.

De acordo com o texto apresentado pelo autor em 2012, o senador  Marcelo Crivella (PRB-RJ), a destinação de parte da receita líquida dos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Creas) poderá ser aplicada no aperfeiçoamento técnico e cultural de seus integrantes, bem como no custeio da fiscalização de obras públicas inacabadas e de edificações sujeitas às inspeções periódicas.

Em sua apresentação sobre o PLS 31/2012, Crivella esclareceu que a proposta partiu de sugestão do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e dos Creas, que se dizem impossibilitados de realizar o aprimoramento técnico e cultural dos mais de um milhão de profissionais com os recursos destinados legalmente a esse fim.

Pelas leis que regulamentam as profissões de engenheiro e agrônomo, apenas os recursos advindos de multas podem ser investidos no aperfeiçoamento profissional.

Na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), por meio de emenda do relator Cyro Miranda (PSDB-GO), ocorreu a extensão da medida para o custeio da fiscalização de obras públicas e as inspeções periódicas.

Para o relator, desse modo, a incumbência da fiscalização a cargo dos conselhos profissionais poderá ser ampliada e aperfeiçoada. Ele ressaltou que a medida resultará “em eficiente mecanismo de prevenção e de redução de sinistros em edificações, que lamentavelmente vêm se tornando recorrentes, muitas vezes, com vítimas fatais”.

Em seguida, o texto foi enviado para a Câmara dos Deputados, e seguiu para análise da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), onde o projeto – que recebeu a numeração PL 5253/13 – foi aprovado por unanimidade. “A ampliação do escopo das ações a serem empreendidas, de forma a abarcar também a fiscalização de obras públicas inacabadas, contribuirá de forma efetiva para reduzir o desperdício de recursos em obras paralisadas tão frequentes no setor público brasileiro”, defendeu o relator, deputado Zacarias Vilalba (PRB-PE).

O projeto tem como autor o senador Marcelo Crivella. No Senado, onde é nomeado como PLS 31/12, o projeto foi analisado pela Comissão de Assuntos Sociais e teve como relator o senador Cyro Miranda (PSDB-GO). Em março de 2013, o projeto chegou à Câmara, onde foi analisado pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), teve o parecer do relator deputado Zacarias Vilalba (PRB-PE) e foi aprovado pela unanimidade. Desde novembro do ano passado, a matéria está na CCJ.

A aprovação desta proposta no Legislativo é mais uma vitória da Engenharia e da Agronomia brasileiras por meio do Sistema Confea/Crea e Mútua, Entidades de Ensino e Entidades Nacionais.

 

Com informações da Equipe de Comunicação Confea

Tags : Câmara dos DeputadosComissão de Assuntos SociaisConfeaConselho Federal de Engenharia e AgronomiaLegislativoMarcelo CrivellaMauro BenevidesSenado
Comunicação

O Autor Comunicação

Deixe um Comentário