close
no thumb
O Agronegócio desponta como uma oportunidade para expansão da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Pecém, que ontem recebeu autorização da Receita Federal para operar em regime tributário diferenciado. O empresário Luiz Roberto Barcelos, sócio-proprietário da Agrícola Famosa (maior produtora exportadora de melão do País), diz que a sua empresa poderá ser a terceira a se instalar na ZPE do Pecém.

Barcelos confirma que já esteve reunido com Marcelo Caldas, diretor técnico da ZPE Ceará, empresa administradora da zona alfandegada, para saber da possibilidade de instalar uma unidade da Famosa na ZPE. “Mas resolvemos esperar a publicação da autorização para, só então, dar andamento ao processo. Na próxima semana pretendo marcar nova reunião para saber qual seria o custo dessa instalação”, afirma.

A empresa precisaria de uma área de 4 mil metros quadrados para instalar um armazém com câmara frigorífica. O objetivo seria dar maior agilidade ao processo de embarque e despacho das frutas para o mercado externo.

O processo de carregar as frutas em caminhões normais (não refrigerados) hoje é feito nas oito fazendas do grupo. Só depois, as frutas são colocadas em contêineres refrigerados no porto. Este processo poderia ser feito dentro da ZPE. “Esta é minha demanda. A vantagem seria fazer o despacho e a parte de inspeção do produto pelo Ministério da Agricultura e Receita Federal na ZPE. Hoje, os contêineres saem das fazendas lacrados e quando chegam no porto eles precisam ser levados a uma área para serem abertos para inspeção. E isso é mais despesa para mim”, afirma.

Em duas horas

A Famosa embarca, diariamente, 60 contêineres e o processo atual de despacho leva quase um dia, afirma o empresário. Se todo o processo for feito na ZPE esse tempo poderia cair para duas horas, no máximo. Desta forma, a empresa não precisaria chegar no porto com tanta antecedência, o que permitiria aproveitar as colheitas mais recentes antes do navio partir,.

Gustavo Saboia Fontenele e Silva, secretário-executivo do Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação (CZPE), já havia apontado como potenciais investidores na ZPE setores que já são tradicionais e fortes no Ceará, como o de couro e calçados, têxtil e confecções e de alimentos processados e agrícolas. “Vai depender do interesse do setor privado, quer sejam tradicionais ou não tradicionais”.

Segundo ele, os investidores podem ser nacionais ou internacionais, com forte predominância dos grandes grupos brasileiros. O Governo Federal, segundo ele, auxiliaria na divulgação da ZPE em feiras e outros eventos internacionais.

Números

60

contêineres/dia é a movimentação realizada pela Agrícola Famosa, maior exportadora de melão do País

571,9

hectares é a área alfandegada, ontem, pela Receita Federal do Brasil. A autorização foi publicada no Diário da União

4.271,4

hectares é a área total destinada para implantação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará

Assessoria de comunicação

O Autor Assessoria de comunicação

A Inove Comunicação tem know-how na divulgação de eventos nacionais e internacionais e tem como missão dar, a cada cliente, visibilidade na mídia, consolidando a marca no mercado e perante a opinião pública.

Deixe um Comentário