close
no thumb

image

Um projeto piloto que visa à captação e ao tratamento da água por meio da energia solar está em andamento no Ceará e deverá ser financiado pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB). A ideia é suprir às demandas de produtores rurais que, geralmente, não são atendidos pela rede de energia elétrica. O processo vai começar pelo município de Ibaretama, no Sertão Central.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, a ação está ligada ao Projeto Biomas, realizado em parceira entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) nos seis biomas brasileiros.

No Ceará, o projeto Biomas Caatinga foi implantado há três anos e é coordenado pela Faec. Representantes da federação e do BNB deverão se reunir ainda nesta semana para discutir o projeto, cujo foco são as propriedades rurais inseridas no Biomas Caatinga. A compra das placas solares e de outros equipamentos necessários à captação e ao tratamento da água seria financiada pelo BNB.

“O sistema de energia elétrica ainda é muito restrito no Interior, não atende todas as regiões do Estado. Esse projeto é uma solução sustentável para a agricultura, ainda mais agora, numa época de escassez dos recursos hídricos”, afirma Saboya.

De acordo com ele, a proposta é que as bombas de sucção e os dessalinizadores de água instalados nas propriedades rurais funcionem 100% com energia solar. Em relação ao tratamento da água, o presidente da Faec destaca que o recurso seria destinado ao consumo humano, de animais e à irrigação.

“É um projeto piloto que desejamos expandir, de forma generalizada, para todo o Interior. Já temos vários poços profundos perfurados, mas, às vezes, a água de alguns locais não é captada porque a rede de energia elétrica fica distante”, acrescenta o presidente da Faec.

Em nota, o BNB destacou que “tem todo o interesse em apoiar a iniciativa”. A instituição financeira disse que, em breve, o superintendente estadual do banco, João Robério Pereira de Messias, se reunirá com Flávio Saboya “para tomar conhecimento de detalhes do projeto”.

FNE Sol

Ainda na área de energia renovável, o Banco do Nordeste e a Faec também estão se articulando a _m de promover o FNE Sol aos produtores, linha de financiamento destinada a empresas de todos os portes e setores, produtores e empresas rurais, cooperativas e associações.

Lançado no último dia 30 de maio, o FNE Sol utiliza recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e tem prazo de pagamento de até 12 anos, com carência de seis meses a um ano.

O investimento pode ser financiado em até 100% e existe bônus de adimplência de 15%. Os juros variam entre 6,5% e 11% ao ano, de acordo com o porte do cliente.

Fonte: Diário do Nordeste

Foto: Rodrigo Carvalho

 

Felipe

O Autor Felipe

Deixe um Comentário